Subsecretaria LGBT realiza ação social em instituições penais

Categoria: Sem categoria | Publicado: quarta-feira, dezembro 18, 2019 as 17:24 | Voltar

Campo Grande (MS) – Encerrando as ações educativas e de prevenção com os internos da ala GBT do Instituto Penal Masculino de Campo Grande, a Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT, realizou na terça-feira (17.12) uma ação social e cultural.

“Durante todo o ano trabalhamos com os internos (as), levando informações e tirando dúvidas. Independentemente de qualquer ato infracional que tenham cometido, elas (as) estão pagando e merecem nosso respeito e um final de ano digno como qualquer pessoa. E foi esse nosso objetivo ao levar um pouco de entretenimento, tendo em vista que temos casos de internos que há mais de 08 anos não recebem uma visita”, explica o Subsecretário Estadual de Políticas Públicas LGBT, Frank Rossatte.

A Ala GBT é específica para gays, bissexuais, transexuais e travestis que cumprem pena em presídios masculinos. É um espaço opcional, a pessoa que está reclusa pode solicitar ficar nesta cela, mas não é obrigada. “A criação desta política é importante para a segurança e a garantia dos direitos básicos de LGBTs no que diz respeito às suas especificidades”, complementa o Subsecretário.

Na ocasião foram distribuídos 40 kits de higiene pessoal e roupas. No decorrer do encontro os artistas Dj Thiago Batistote e Emanuelle Fernandes realizaram apresentações musicais. Os internos (as), participaram também de uma roda de conversa com a presença da atual Miss/Travesti Mariane Cordon Cáceres, que falou sobre sua experiência de vida e sobre o respeito a identidade de gênero das mulheres travestis e transexuais.

Simultaneamente outra equipe da Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT, estava no Instituto Penal Feminino Irmã Zorzi, realizando ação semelhante com as internas, que teve a participação de duas convidadas do Movimento Social.

O encontro contou com a presença de representantes das equipes das instituições, entre assistentes social, psicólogos e chefe de disciplina.

De acordo com o Subsecretário, as políticas públicas LGBTs são essenciais para os dias atuais. “A violação dos direitos humanos tornou-se fato cotidiano em vários âmbitos da sociedade, e estas políticas públicas vêm com o intuito de acionar efetivamente o Estado, enquanto garantidor dos direitos de todas as pessoas”, finaliza.

Publicado por: Jaqueline Hahn Tente

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.