Segunda edição do Mapa do feminicídio foi lançado nesta terça-feira (1º)

Categoria: Cidadania, Subs Mulher, Sem categoria | Publicado: terça-feira, junho 1, 2021 as 17:57 | Voltar

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Estado de Cidadania e Cultura e da Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SPPM) em parceria com a Delegacia-Geral da Polícia Civil, lançou nesta terça-feira (01.06), no Dia Estadual de Combate ao Feminicídio, a segunda edição do Mapa do Feminicídio de Mato Grosso do Sul: um mapeamento das mortes violentas de mulheres, tipificadas como feminicídios, ocorridas no Estado no ano de 2020.

A publicação tem como objetivo de sistematizar e divulgar os dados de violência contra a mulher e de feminicídios, que servirão como subsídios para elaboração de políticas públicas de enfrentamento à violência.

Na abertura da live, a Subsecretária de Estado de Políticas Públicas para Mulheres, Luciana Azambuja, destacou que, “diante de tantos problemas novos, o ano de 2020 foi marcado por um mau antigo, o aumento dos números de feminicídios em Mato Grosso do Sul. A violência contra mulheres é um problema que afeta mulheres e suas famílias em todo o mundo e, infelizmente, ainda é pauta constante nos noticiários. E essa situação foi agravada pelo isolamento que colocou as vítimas sob a vigilância constante dos agressores.”

O Mapa do Feminicídio lançado hoje traz dados dos 40 feminicídios consumados no ano passado, o que representa um aumento de 33,33% de 2019 para 2020. Quando falamos em feminicídios na forma tentada foram registrados 66 casos.

A subsecretária reforçou ainda que, “das 40 vítimas, 30 eram mães, deixando 85 filhos e filhas órfãos, destas 38 crianças e adolescentes, e o mais chocante em 13 casos, os filhos presenciaram os crimes. ”

O evento teve a participação da deputada estadual Mara Caseiro; da Juíza Helena Machado Coelho, coordenadora da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do TJMS; da advogada Amanda Parizan, presidente do Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres; da delegada-geral Adjunta da Polícia Civil de MS, Rozeman de Paula; da coordenadora do Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem), defensora Pública Thaís Dominato Silva Teixeira, e da Aparecida Gonçalves, especialista em gênero e violência contra a mulher.

O relatório produzido – Mapa do Feminicídio MS – está publicado no site www.naosecale.ms.gov.br; para maiores informações, acesse: arquivo pdf.

 

SEMANA ESTADUAL DE COMBATE AO FEMINICÍDIO

A Lei nº 5.202, de 30 de maio de 2018, de iniciativa do executivo estadual, instituiu no calendário oficial do Estado de Mato Grosso do Sul o dia 1º de junho, como “Dia Estadual de Combate ao Feminicídio", iniciando a "Semana Estadual de Combate ao Feminicídio". A data lembra a morte da jovem Isis Caroline (21 anos), ocorrida em 1º de junho de 2015 e tida como o primeiro caso de feminicídio registrado no Estado, após a vigência da Lei 13.104/2015.

Durante a semana de 1º a 8 de junho serão realizadas ações com objetivo de discutir o feminicídio como a maior violação de direitos humanos das mulheres. E, tempos de pandemia, os eventos serão virtuais: lives, rodas de conversa e seminários abordando o tema, divulgando os serviços e os mecanismos legais de proteção à mulher em situação de violência.

 

 Fotos: Saul Schramm - Subcom

Publicado por: Jaqueline Hahn Tente

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.