No Dia da Consciência Negra alunos celebram tradições africanas

Categoria: Cidadania, Subs Racial | Publicado: quinta-feira, novembro 21, 2019 as 19:34 | Voltar

Campo Grande (MS) – Estudantes da Escola Estadual Integral da autoria Manoel Bonifácio Nunes da Cunha, comemoraram o dia da Consciência Negra de um jeito muito especial: valorizando a cultura africana com a culminância do projeto “Cultura e resistência afro-brasileira - o meu cabelo não é ruim, ruim é o seu racismo”.

Para celebrar a morte de Zumbi dos Palmares, os alunos juntamente com professores e coordenadores, reuniram-se na quarta-feira (20.11) para apresentar um balanço das atividades pedagógicas desenvolvidas durante todo o ano letivo, que abordou o racismo, o respeito, as lutas e a valorização da cultura do povo negro.

De acordo com a diretora da escola Silvana Ramos, “o projeto tem o objetivo de refletir junto com a comunidade a importância do combate ao racismo e contribuir para construção de uma sociedade justa com igualdade racial”.

O projeto pedagógico apresentado destaca o respeito e atendimento as Leis 10.639/03 (Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnicos Raciais) e 11.645/08, que determina a obrigatoriedade do ensino da História da África, dos Africanos e indígenas no Currículo Escolar das modalidades do ensino Fundamental e Médio. “Tudo que presenciamos aqui é o nosso maior anseio, pois a nossa luta é diária e não somente no dia da consciência negra. E essas apresentações nos mostram que aqui o combate ao racismo e a qualquer forma de discriminação faz parte da grade curricular”, ressalta a Subsecretária Estadual de Políticas Públicas para a Igualdade Racial, Ana José Alves.

Apresentações de música, poesia, dança, roda de capoeira, exposição de telas e apresentações teatrais envolveram a comunidade que pode mergulhar na cultura afro, despertando seu olhar para a força e resistência do negro ao longo da história do Brasil.

O Governo do Estado reconhece a importância da data e também da campanha Novembro Negro para o combate à discriminação e valorização da população negra - composta por pessoas autodeclaradas pardas e pretas, que representam 48,49% da população do Mato Grosso do Sul, segundo dados do último censo do IBGE.

“Procuramos trabalhar a questão racial permanentemente, temos algumas campanhas pontuais, como por exemplo, o ‘Julho das Pretas’ e o ‘Novembro Negro’, a Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para a Igualdade Racial, atua na construção de políticas públicas de enfrentamento ao racismo, ampliação e efetivação dos direitos e da cidadania da população negra”, explica a secretária Especial de Cidadania, Luciana Azambuja.

No próximo dia 24 de novembro ações alusivas ao mês da consciência negra serão desenvolvidas nos municípios de Jaraguari e Corguinho, rodas de conversa com a população das duas comunidades quilombolas serão conduzidas pelas técnicas da Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para a Igualdade Racial.

Fotos: Assessoria Secid e arquivo escola Manoel Bonifácio Nunes da Cunha. 

 

 

 

 

 

 

Publicado por: Jaqueline Hahn Tente

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.