Comunidades quilombolas devem preencher cadastro da Fundação Cultural Palmares

Categoria: Cidadania, Subs Racial | Publicado: terça-feira, maio 12, 2020 as 16:36 | Voltar

Campo Grande (MS) – Com o objetivo de reunir informações e dados gerais sobre as comunidades quilombolas brasileiras, a Fundação Cultural Palmares (FCP), está realizando o Cadastro Geral de Informações Quilombolas. O cadastro é uma forma de preparar as comunidades para que possam integrar a base de dados do Censo Demográfico promovido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), adiado para 2021.

Em Mato Groso do Sul, a Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, iniciou no ano de 2019 o programa “MS Quilombola”, realizando o mapeamento das comunidades remanescentes de quilombos existentes no Estado.

Comunidade Quilombola de Nioaque

“O projeto teve início com a visita em 7 municípios no ano passado. Em 2020 visitamos 5 comunidades, totalizando até o momento o levantamento em 9 municípios Infelizmente devido a pandemia do novo coronavírus todas as ações externas foram canceladas. Mas o que nós sentimos nessas visitas é que a presença do Governo do Estado faz toda a diferenças para as pessoas, nós estamos empenhados em criar e executar políticas públicas eficientes e eficazes para essas comunidades, explica Ana José Alves, Subsecretária Estadual de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial.

A Subsecretária reforça ainda que é muito importante o preenchimento do formulário da Fundação Palmares. “As informações desse formulário servirão de base ao planejamento do instituto para a execução do Censo que vai permitir avanços inéditos, como a auto identificação da população quilombola em relação ao pertencimento étnico”.  Todas as comunidades quilombolas devem preencher o formulário estejam elas certificadas ou não pela Fundação Palmares.

De acordo com Tiago Cantalice, coordenador de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro da FCP, a inclusão dos quilombolas no censo é um passo importante à construção e execução de metodologias voltadas à proteção dessas comunidades. “Pela primeira vez, saberemos exatamente quantos são e o seu perfil no que diz respeito a gênero, faixa etária, real condição socioeconômica, entre outras informações relevantes para a formulação de políticas que venham a atender essas famílias e garantir os seus direitos constitucionais”, detalha o gestor.

A Fundação Cultural Palmares, reforça que as informações inseridas no formulário não serão divulgadas até que, em consulta junto às representações nacionais quilombolas, seja definida sua política de sigilo.

Acesse aqui para preencher o formulário.

Em caso de dúvida, entre em contato pelos telefones (61) 3424-0306; 0110; 0145 ou pelo e-mail: cristian.martins@palmares.gov.br; ademilton.ferreira@palmares.gov.br

 

Publicado por: Jaqueline Hahn Tente

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.