Campanha uni religiões no combate a violência doméstica

Categoria: Cidadania, Enfrentamento à Violência | Publicado: quarta-feira, dezembro 4, 2019 as 22:06 | Voltar

Campo Grande (MS) – O Governador Reinaldo Azambuja lançou nesta quarta-feira (04.12), a campanha “MS Unido, Paz nas Famílias”, com objetivo de unir povos e religiões no combate a todos os tipos de violência que atingem crianças, adolescentes, mulheres, idosos e pessoas com deficiência.

Governador Reinaldo Azambuja

“A sociedade precisa despertar que a violência não é normal. O objetivo de nós criarmos uma campanha e conclamarmos todas as religiões, é levar para dentro das igrejas, do culto, da missa, das sessões, principalmente essa pregação de que nós podemos ter paz dentro das famílias no Mato Grosso do Sul”, destacou o governador.

Conforme recente pesquisa divulgada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, foram registrados 1.206 feminicídios no Brasil em 2018, sendo que em 88,8% dos casos o autor foi companheiro ou ex-companheiro; a cada 2 minutos, registrou-se um boletim de ocorrência por violência doméstica; lesão corporal dolosa foram 263.067 ocorrências; dos registros de violência sexual, 82% das vítimas eram mulheres e mais da metade tinham menos de 13 anos.

Secretária Especial de Cidadania, Luciana Azambuja.

Os dados apontam ainda que a maioria dos casos violência acontecem no lar onde as vítimas estão mais inseguras e expostas. “A violência está ocorrendo no local aonde as vítimas deveriam estar mais seguras que é o seu ambiente doméstico. A gente não pode se calar diante dessas injustiças e continuar na nossa zona de conforto. Nós precisamos unir forças e esforços e essa foi a nossa proposta quando buscamos as diferentes lideranças religiosas de várias denominações e de vários segmentos”, reforça a Secretária Especial de Cidadania, Luciana Azambuja.

A campanha “MS Unido, Paz nas Famílias”, destaca-se no cenário nacional por ser a primeira vez que um governo de Estado chama as lideranças religiosas para uma grande parceria de enfrentamento à violência doméstica.

Durante a cerimônia os líderes religiosos de diferentes segmentos destacaram a importância da parceria com o Governo do Estado, mediante uma causa tão importante. Representando a igreja evangélica, o Pastor Ronaldo Batista, presidente do Conselho Estadual de Pastores, ressaltou o valor do amor na construção da família. “A família é a base do amor, da construção da vida, não podemos aceitar violências nos lares das nossas famílias”.

Uma campanha construída a várias mãos, elaborada por diversos pontos de vistas, mas todos com o mesmo objetivo, a paz nas famílias sul-mato-grossenses. “Precisamos fazer um trabalho preventivo, levar o conhecimento sobre as diversas violências aos lares. Resgatar o verdadeiro sentido da palavra famílias, resgatar o respeito. Pontuo em sua fala Darlene Maria Cavalcante, representante da Federação Espírita do Mato Grosso do Sul.

Em comum, todos os líderes lamentam que a dignidade humana esteja em xeque nos dias atuais. “Nós como representantes de matriz africana conhecemos bem essa violência, conhecemos bem esse tipo de acontecimento tão triste que massacra a nossa sociedade, especialmente as nossas comunidades, onde o índice de violência é muito mais frequente, muito mais presente do que se possa imaginar. Nós como sacerdotes de matriz africana temos o hábito de acolher pessoas que vem de vários lugares e de várias esferas da sociedade, dentro de nossas humildes casas, para poder orientar e apoiar, o combate a violência é uma causa justa e necessária”, explica Baba Araba Frank Edesola.

Segundo o líder de a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Gerson Marques, é preciso ajudar as pessoas que sofrem abusos, maus-tratos. “As pessoas que sofrem violência muitas vezes estão em meio à multidão, mas se sentem sozinhas, solitárias, feridas. Nós estamos aqui entre várias religiões, vários credos e embora tenhamos diferenças de credos, algumas coisas são semelhantes a nós, o amor, o serviço e nós podemos nos unir em relação a isso, todos nós somos filhos de Deus”, conclui.

Encerrando o evento o representando da Igreja Católica Dom Mariano, bispo auxiliar da Arquidiocese de Campo Grande destacou que a campanha de certa fora é um reflexo de um pedido do Papa João Paulo II, feito no ano de 1991, quando disse que a família deve ser uma grande prioridade pastoral. “Nós estamos muito alegres em poder juntar as nossas forças, a pastoral familiar, da pessoa idosa, do menor, as nossas comunidades terapêuticas todas estão a serviço desse grande trabalho.

Na sequência foi realizada a primeira oficina de capacitação da campanha com o tema: “Capacitação para prevenção ao abuso sexual infantil”, ministrado pela psicóloga, missionaria e fundadora e coordenadora do Projeto Nova, Viviane Vaz.

Fotos: Chico Ribeiro 

 

Publicado por: Jaqueline Hahn Tente

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.